domingo, dezembro 09, 2012

A Rubra Flor e a Borboleta





Caminhava pela manhã entre os jardins floridos e minh’alma quase transcendeu aos céus com o alquímico perfume no ar. Neste momento, percebi uma rubra flor que se destacava entre as outras, não só pela sua beleza, às outras florzinhas também eram belas, mas à rubra flor chamou mais minha atenção, porque além de bela, parecia que ela estava sorrindo para mim com suas pétalas ainda molhadas pelo divino orvalho matinal que cintilavam com a luz do sol, o qual, com seu esplendor, despontava infante no horizonte, num lindo céu azul, intemerato e cristalino, me transmitindo algo a mais, um sentimento de paz.

Fiquei fascinado e encantado diante da magia de tão divinal beleza. Oh quão inspiradoras são as obras do pai criador, o Arquiteto Deus, como à majestosa natureza! Pena que algumas pessoas não estão tendo consciência em preservá-la, protegendo às florestas e o meio ambiente em que vivem! Mas, voltando ao fascínio da rubra flor, precisava deste sorriso. Às vezes em nosso meio necessitamos apenas de um sorriso sincero ou da simplicidade de um olhar que possa nos acalentar, de uma palavra amiga que nos transmita paz, alegria e ternura, que possa fazer com que transmutemos nossas tristezas e incertezas. Algo de divino. Embora o grande segredo desta transformação, seja descoberto e laborado primeiramente no cadinho do nosso próprio eu interior, fazendo com que de fato esta transmutação aconteça, mas infelizmente, algumas vezes, não temos à capacidade suficiente para fazer este ofício na qualidade de alquimistas das emoções que nos afligem, pelo menos é assim comigo, às vezes falta-me força, noutras fé para realizar esta transformação, mas sei também que existem muitas pessoas que têm dentro de si este potencial.


Essas pessoas têm o dom de nos alegrar, de incentivar, são enviadas por Deus, são anjos de luz que nos auxiliam quando precisamos, nos encorajando e dando ânimo. Quando elas não estão por perto, devido aos seus afazeres diários, temos que de alguma forma buscar a força dentro d’alma, ou simplesmente contemplar as maravilhas existentes na natureza e na grandiosidade e beleza das obras do Arquiteto Criador, buscando assim restabelecer o nosso equilíbrio interior, porque de alguma forma, Deus está e estará sempre presente ao nosso lado, em tudo e em todos, principalmente em nossas preces e orações, entretanto, mesmo sabendo disso, quiçá, até mesmo pela pouca fé que nutrimos em nosso coração, n’alguns momentos da vida, deixamos que às tristezas e às incertezas entrem nos interstícios do nosso peito e são nessas horas que necessitamos de ajuda, de um ombro amigo para compartilhar o que estamos sentindo.

Para completar tão belo quadro da natureza, convertendo de vez as tristezas que me afligiam, aproximou-se uma borboleta que posou mansamente sobre a rubra flor num espetáculo divinal inigualável. Uma borboleta, símbolo fecundo de transformação, de renascimento e a rubra flor, símbolo de consagração ao amor, juntas numa só imagem, imaculada, pura, composta pelas mãos benevolentes do Arquiteto Deus para aquele momento.

Uma imagem indelével que eternamente ficou registrada em meu coração e em meu pensamento, admirado pela singeleza e simplicidade mística da rubra flor e a borboleta que me transmitiam sentimentos de esperanças, fazendo brotar em meu jardim interior a bela flor do amor e com ela a ternura, a fraternidade, a solidariedade, o perdão... Elevadas e enlevadas aspirações. Desideratos nobres de paz.

-**-Elias Akhenaton-**-
"Um peregrino da vida, pescador de emoções."


4 comentários:

  1. Oi Elias
    Quantos sentimentos bons pode provocar uma borboleta e uma rosa, resumindo: uma natureza densa com muitas flores e águas cristalinas.
    Muito bom. Adorei.
    Beijos
    Dorli

    ResponderExcluir
  2. Quantos sentimentos sutis em seu texto, caminhei junto contigo.
    Beijos,
    Clarice
    www.penadeprata.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. A vida é tão bonita... bela a sua postagem!

    ResponderExcluir
  4. Doce Poeta Elias

    Linda e maravilhosa ficou a tua narrativa...sabe não fiquei surpresa com tanta sensibilidade...poucas pessoas conseguem ver a beleza que a nossa mãe natureza nos oferece...raras as vezes que alguém para e contempla uma flor orvalhada...uma borboleta que enfeita os ares com suas múltiplas cores...ou um simples passarinho que canta...mas este é o poeta que admiro por ser essa pessoa sensível e linda...te adoro poeta!
    Bjinhos e aplausos sempre, sempre!

    ResponderExcluir