sábado, dezembro 15, 2012

Caminheiro da Vida




Sou caminheiro da vida
Sou beija-flor
Com o coração pleno de amor
Em busca da mais bela flor...
Sou livre pensador
Lapidando as asperezas
Existentes em meu interior...
Transmutando meu ego
Essência material
Na mais pura
Essência espiritual...
Um Alquimista em potencial
Laborando à força mental
Verdadeira pedra filosofal...
Minh’alma é imortal
Templo universal...
Sou neófito da vida
Sou eterno aprendiz
È a vida quem diz...
Adoro e venero o Arquiteto
Divino Pai Criador
E falo com muito amor...
Sou poeta, sou pensador
Caminheiro da vida
Com muito louvor
Na senda da
Luz, Vida e Amor!

-**-Elias Akhenaton-**-
"Um peregrino da vida, pescador de emoções."


segunda-feira, dezembro 10, 2012

Coração em pedaços




Oh minha amada! Por onde andas?
Choro com saudades, sentindo
A tua falta, do nosso jeito de amar
Nas ardentes noites ao luar.

A flor do amor que florescia em meu peito
Com suas suaves pétalas, despetalou,
Mas o seu cheiro em mim ficou,
Enraizado p’ra sempre por ti meu amor.

Eu que outrora vivia transbordando
Alegria, felicidade; hoje caminha
Por ai sem rumo - moribundo,
Vagando tristemente pelo mundo.

Volta amor meu... Volta para junto
De mim... Vem florescer a flor
De minh'alma com os teus carinhos,
Faz-me sentir que ainda sou teu.

Se porventura eu te magoei, perdoe-me,
Jamais magoaria meu próprio coração,
Pois estás dentro dele, é por ti que ele pulsa...
Meu motivo de ser - razão do meu viver.

-**-Elias Akhenaton-**-
“Um peregrino da vida, pescador de emoções.”

domingo, dezembro 09, 2012

A Rubra Flor e a Borboleta





Caminhava pela manhã entre os jardins floridos e minh’alma quase transcendeu aos céus com o alquímico perfume no ar. Neste momento, percebi uma rubra flor que se destacava entre as outras, não só pela sua beleza, às outras florzinhas também eram belas, mas à rubra flor chamou mais minha atenção, porque além de bela, parecia que ela estava sorrindo para mim com suas pétalas ainda molhadas pelo divino orvalho matinal que cintilavam com a luz do sol, o qual, com seu esplendor, despontava infante no horizonte, num lindo céu azul, intemerato e cristalino, me transmitindo algo a mais, um sentimento de paz.

Fiquei fascinado e encantado diante da magia de tão divinal beleza. Oh quão inspiradoras são as obras do pai criador, o Arquiteto Deus, como à majestosa natureza! Pena que algumas pessoas não estão tendo consciência em preservá-la, protegendo às florestas e o meio ambiente em que vivem! Mas, voltando ao fascínio da rubra flor, precisava deste sorriso. Às vezes em nosso meio necessitamos apenas de um sorriso sincero ou da simplicidade de um olhar que possa nos acalentar, de uma palavra amiga que nos transmita paz, alegria e ternura, que possa fazer com que transmutemos nossas tristezas e incertezas. Algo de divino. Embora o grande segredo desta transformação, seja descoberto e laborado primeiramente no cadinho do nosso próprio eu interior, fazendo com que de fato esta transmutação aconteça, mas infelizmente, algumas vezes, não temos à capacidade suficiente para fazer este ofício na qualidade de alquimistas das emoções que nos afligem, pelo menos é assim comigo, às vezes falta-me força, noutras fé para realizar esta transformação, mas sei também que existem muitas pessoas que têm dentro de si este potencial.


Essas pessoas têm o dom de nos alegrar, de incentivar, são enviadas por Deus, são anjos de luz que nos auxiliam quando precisamos, nos encorajando e dando ânimo. Quando elas não estão por perto, devido aos seus afazeres diários, temos que de alguma forma buscar a força dentro d’alma, ou simplesmente contemplar as maravilhas existentes na natureza e na grandiosidade e beleza das obras do Arquiteto Criador, buscando assim restabelecer o nosso equilíbrio interior, porque de alguma forma, Deus está e estará sempre presente ao nosso lado, em tudo e em todos, principalmente em nossas preces e orações, entretanto, mesmo sabendo disso, quiçá, até mesmo pela pouca fé que nutrimos em nosso coração, n’alguns momentos da vida, deixamos que às tristezas e às incertezas entrem nos interstícios do nosso peito e são nessas horas que necessitamos de ajuda, de um ombro amigo para compartilhar o que estamos sentindo.

Para completar tão belo quadro da natureza, convertendo de vez as tristezas que me afligiam, aproximou-se uma borboleta que posou mansamente sobre a rubra flor num espetáculo divinal inigualável. Uma borboleta, símbolo fecundo de transformação, de renascimento e a rubra flor, símbolo de consagração ao amor, juntas numa só imagem, imaculada, pura, composta pelas mãos benevolentes do Arquiteto Deus para aquele momento.

Uma imagem indelével que eternamente ficou registrada em meu coração e em meu pensamento, admirado pela singeleza e simplicidade mística da rubra flor e a borboleta que me transmitiam sentimentos de esperanças, fazendo brotar em meu jardim interior a bela flor do amor e com ela a ternura, a fraternidade, a solidariedade, o perdão... Elevadas e enlevadas aspirações. Desideratos nobres de paz.

-**-Elias Akhenaton-**-
"Um peregrino da vida, pescador de emoções."